Ecoturismo em Minas Gerais

22 Fevereiro 2017
Author :  

Terra rica em natureza, Minas Gerais possui rios, cachoeiras, trilhas, serras, um povo simples e acolhedor.

Ingredientes fundamentais para uma aventura inesquecível e única pelo interior do estado. Diversidade que faz com que Minas seja um dos lugares mais procurados para o ecoturismo.

A natureza pródiga de atrativos, na topografia, na geologia e nos recursos hídricos e florestais está presente em todas as regiões do estado, propiciando ao visitante amante do ecoturismo um leque infindável de opções. No Brasil, Minas Gerais é referência neste segmento turístico.

Os parques nacionais e estaduais em Minas Gerais são excelentes opções de passeio. Prepare a sua mochila e pegue a estrada para curtir um estado bonito por natureza!

Carrancas

Conhecida com a Terra das Cachoeiras, Carrancas vem desenvolvendo o ecoturismo como alternativa econômica e atrativos não faltam para a prática da atividade. Paz, aventura em meio a natureza fazem de Carrancas um destino imperdível para quem curte a vida ao ar livre. Caminhadas, cachoeiras e paisagens relaxantes atraem turistas em busca de banhos refrescantes e contato com a natureza. Carrancas possui um calendário cultural e folclórico interessante, com festas tradicionais incorporadas na cultura de seus moradores.

Cidade mineira situada entre a mata atlântica e o cerrado, com a predominância do cerrado, reúne diversas atrações naturais, onde a cada ano milhares de turistas se encantam com as paisagens, cultura, gastronomia e história. Lugar ideal para os amantes da natureza, Carrancas oferece cachoeiras, poços, grutas, escorregadores naturais e serras que formam cenário propício para a realização de atividades de aventura ou mesmo a contemplação da beleza ímpar da região. Ainda favorece a experiência por trilhas, caminhadas, passeio de cavalos com a observação da flora e fauna da região.

Misticidade e natureza na Serra da Mantiqueira

Localizada numa altitude de 1.444m ácima do nível do mar, sendo uma das cidades mais altas do Brasil, São Thomé das Letras é considerada pelos místicos como uma cidade sagrada. Atraindo turistas que buscam por diversão e também paz de espírito, São Thomé das Letras está inserida no pico de uma montanha de pedra na Serra da Mantiqueira e tem um contexto extraordinário que fez crescer o turismo na cidade. Dentre as lendas que são repassadas no local estão, por exemplo, os contos de moradores que acreditam que vivem cercados por seres extraterrestres. A exploração da pedra quartzito, também chamada de Pedra São Tomé, é presente na região e é a principal fonte de renda do município, usada para o revestimento de casas e passeios, sendo também exportada para países da Europa. A pedra também é bastante usada nas edificações do próprio município, as quais constituem alguns dos atrativos do município, como a Igreja Nossa Senhora do Rosário e a Pirâmide, cartão postal da cidade. São Tomé das Letras também está envolvida por um vale onde se escondem atrativos naturais impressionantes, como grutas, cachoeiras e cavernas com belezas exóticas.

Trilhas, cachoeiras e belas paisagens na Serra do Cipó

Inicialmente chamada de Fazenda Riacho Fundo, a cidade surgiu no século XVIII, ao redor da de uma pequena capela construída no local. A cidade foi crescendo e hoje chama-se Santana do Riacho. O município é dotado de vários sítios arqueológicos, que fazem parte da “Grande Região Arqueológica de Lagoa Santa” que comprovam a existência humana no local há mais de 10.000 anos. Alguns desses sítios encontram-se no Parque Nacional da Serra do Cipó, o principal atrativo do destino, que conta também com rios, cânions, paredões, cachoeiras, lagoas e expressiva fauna e flora. Fora do parque o turista encontra outros atrativos naturais como a Congonhas, as Cachoeiras do Lajeado e Paradise, as Grutas do Padre Borges, além do Sitio Arqueológico da Lapinha e o Pico do Breu. Dentre os atrativos culturais estão a Igreja Nossa Senhora de Santana, a Escultura do Juquinha da Serra e o Caminho dos Escravos. No Parque Nacional da Serra do Cipó o turista pode praticar atividades de ecoturismo como hikking, canyoning; passeio de caiaque e barco, turismo equestre; trekking, ciclo turismo, caving e alpinism

Na década de 50, o paisagista Burle Marx classificou a Serra do Cipó como o Jardim do Brasil. A alcunha se deve à variedade da flora e da fauna da região, onde convivem espécies endêmicas como as sempre-vivas, as canelas-de-ema, o lobo-guará e a onça-parda. Em 1984, o Parque foi criado para proteger essa biodiversidade. Localizado ao sul da cadeia do Espinhaço, envolve áreas dos municípios de Jaboticatubas, Santana do Riacho, Morro do Pilar e Itambé do Mato Dentro. Seus mais de 30 mil hectares de extensão dividem duas grandes bacias hidrográficas: a do Rio Doce e a do Rio São Francisco. A topografia acidentada, repleta de nascentes, forma rios, cânions, cachoeiras e cavernas, atrativos muito procurados pelos amantes do ecoturismo. A cachoeira da Farofa e o Cânion das Bandeirinhas são alguns dos passeios preferidos pelos visitantes.

Portalminasgerais.com.br

453 Views
Jornal AgroNegócio

Jornal AgroNegócio 12 anos.

Login to post comments
We use cookies to improve our website. By continuing to use this website, you are giving consent to cookies being used. More details…