Drones no Reflorestamento

23 Fevereiro 2017
Author :  

* Márcio Régis Galvão

O aquecimento global e as alterações climáticas são alguns dos grandes desequilíbrios causados ​​pelos efeitos do desmatamento.

Plantando árvores utilizando técnicas de reflorestamento com drones os avanços na mudança climática global poderiam acontecer mais rapidamente.

Um dos maiores problemas enfrentados pelo meio ambiente é a mudança climática causada pelo desmatamento em escala industrial. De acordo com o The Independent, 26 bilhões de árvores são queimadas todos os anos e apenas 15 bilhões são replantadas. Os drones usados para o reflorestamento poderiam ajudar a diminuir esta lacuna. Os drones podem evitar e ainda ajudar no reflorestamento.

O desmatamento é a conversão de terras florestais em terras não florestadas, causado pela extração de madeira, pastagem ou uso urbano. Como já sabemos, além de afetar a mudança climática, o desmatamento cria desequilíbrios ecológicos e ambientais que resultam no declínio da biodiversidade. As principais causas do desmatamento incluem a urbanização, os incêndios e as atividades agrícolas.

O uso de Drones no reflorestamento é uma solução inovadora que está sendo utilizada para plantar um grande número de mudas em um curto período de tempo. A partir de 2017 a empresa Dron Drones Tecnologia usará drones como eles nunca foram vistos ​​antes - para plantar mudas de árvores em um trabalho inédito e em grande escala. Para isso a empresa está desenvolvendo um sistema remoto para reflorestamento usando VANTs (Drones). O sistema funciona através de um aplicativo próprio e possibilita que as aeronaves não tripuladas plantem um grande número de mudas em um curto espaço de tempo. O sistema será aberto e ainda poderá ser usado na maioria dos modelos de aeronaves não tripuladas já disponíveis no mercado.

O CEO e fundador da empresa Márcio Régis Galvão, acredita que com o esse sistema será possível plantar mais de 38 mil mudas por dia, que representa aproximadamente um bilhão de árvores por ano na terra, o que seria um grande salto na batalha contra o desequilíbrio ambiental.

A primeira e principal função do sistema é mapear e sobrevoar a área captando informações detalhadas sobre o real potencial para reflorestamento. Em seguida os drones são programados para voar em altitude pré estabelecida onde começam a distribuir as sementes pelo solo. Os drones são carregado com sementes pré-germinadas e um hidro-gel nutritivo que fornecerá a planta todos os minerais nutritivos, além da umidade necessária para começar o seu crescimento.

Para realizar esta atividade a empresa treinou durante três meses na sede da sua escola de formação de pilotos, dois operadores de drones. Um conduz a aeronave e o outro acompanha e fiscaliza os lançamentos das sementes. Segundo Márcio Galvão, a economia gerada no uso dos drones na atividade de reflorestamento pode chegar a 85% comparado aos métodos tradicionais.

O desmatamento tem tido um grande impacto sobre o meio ambiente global desde a erosão do solo à extinção da vida selvagem. O aquecimento global e as alterações climáticas são alguns dos grandes desequilíbrios causados ​​pelos efeitos do desmatamento. Plantando árvores utilizando técnicas de reflorestamento com drones os avanços na mudança climática global poderiam acontecer mais rapidamente.

Um ótimo voo pra voco!

*Márcio Régis Galvão é Gerente de Marketing na Alscience Engenharia, professor de Tecnologia VANT no Instituto de Formação Tecnológica, CEO na Dron Drones Imagens Aéreas e na Consultoria MRG Marketing. Atua como conselheiro de empresas na implantação de tecnologia VANT com experiência executiva no desenvolvimento e implantação de modelos de gestão. Nos últimos vinte anos tem sido consultor nas áreas de planejamento estratégico e desenvolvimento organizacional em empresas no Brasil e Estados Unidos.

260 Views
Jornal AgroNegócio

Jornal AgroNegócio 12 anos.

Login to post comments
We use cookies to improve our website. By continuing to use this website, you are giving consent to cookies being used. More details…